segunda-feira, junho 20, 2011

*

Um dia voltar-nos-emos a ver em algum lugar... por enquanto vou-te vendo em todos os lugares do mundo


"On ne voit bien qu'avec le coeur. L'essentiel est invisible pour les yeux"

antoine s.e.

sexta-feira, junho 17, 2011

Da Margô para a Ritinha

Já se passou quase um mês e nem a imaginas a falta que me fazes. De todas as discussões, de todas as gargalhadas, de usares as minhas coisas sem me pedir, de estares mal-disposta porque te chateaste com o Celso, de me chamares "margô", de começares a cantar e eu te mandar calar, de teres de ser sempre tu a tomar banho primeiro, de seres sempre tu a escolher os cereais para o pequeno-almoço, de tu veres sempre o que queres na tv, de ires sempre tu à frente no carro, de TUDO!

Lembraste quando eu te disse que nunca tinha perdido alguém que fosse muito importante para mim, nem um cão? Nunca pensei que tu tivesses de ser a primeira, logo a pessoa mais importante da minha vida, a minha irmã! Tenho tanto para te contar, tanto para fazer contigo,... E acredito que quando estiver contigo ainda vou fazer os piercings todos que queríamos, vou andar contigo no smart, vou roubar mais anéis e pulseiras contigo, vou fazer mais composições de português contigo, vou gozar com toda a gente contigo, vou chatear a mãe a cantar aquelas músicas estúpidas, vou a mais concertos dos mgmt, vou mais vezes à tua faculdade e ver aquele professor que parece o do american pie, ainda vou ficar até tarde a ver programas estúpidos na mtv, ... de tudo o que fazíamos juntas! E sabes porquê? Porque sempre que faço alguma dessas coisas lembro-me de ti, sinto-te ali comigo!

Lá em casa, está tudo tão calmo, fazes tanta falta... O Martim diz que te quer ligar, que quer ir ter contigo ao céu. E eu sei que um dia ainda vamos estar lá todos juntos, felizes como éramos antes, sempre divertidos. Mal posso esperar por esse dia!

Sabes que levaste contigo grande parte de mim, que nunca ninguém irá conseguir substituir. Nunca me vou esquecer de ti, de tudo o que passamos juntas, de tudo. E continua a proteger-me como sempre me protegeste* gosto muito de ti irmã, "you're simply the best".

Margarida

Eu não sou irmã. Sou prima. E um mês volvido não há um segundo em que não pense na Rita. Rita é o diminutivo de Margarita. O nome da irmã dela...

another friday


Tenho a sensação de ser hoje o primeiro dia de chuva desde que partiste. É o primeiro dia em que vejo espelhada a minha alma.

Tento compor o nosso amor Dentro da tua ausência Toda a loucura, todo o martírio De uma paixão imensa Teu toca-discos, nosso retrato Um tempo descuidado Tudo pisado, tudo partido Tudo no chão jogado E em cada canto Teu desencanto Tua melancolia Teu triste vulto desesperado Ante o que eu te dizia E logo o espanto e logo o insulto O amor dilacerado E logo o pranto ante a agonia Do fato consumado Silenciosa Ficou a rosa No chão despetalada Que eu com meus dedos tentei a medo Reconstruir do nada: O teu perfume, teus doces pêlos A tua pele amada Tudo desfeito, tudo perdido A rosa desfolhada

|Vinicius de Moraes|



terça-feira, junho 14, 2011

Let's go!


'It is only the modern that becomes old-fashioned'
Oscar Wilde

Vamos casar. Eu e o Pedro vamos casar um com o outro. E é bom! É maravilhoso. É celebrar com os que amamos o nosso amor como projecto de vida. E neste momento preciso gritar muito alto para que eu ouça. Que é muito bom. Que a vida é também isto. Que a vida, aliás, é isto. Que Maio e Paris continuarão a estar lá por mim, tal como acreditava no início do maio. E que também lá estarão a Ritinha, a Paula, o Huguinho, a avó Manela, a avó Guida e os avós e os tios. Estarão junto ao coração que é onde os amores vivem eternamente...

Por isso, estou noiva. Foi em Paris, junto ao Sena. E à pergunta da minha metade respondi sim, que é o que respondem as princesas quando querem ser felizes para sempre!

segunda-feira, junho 13, 2011

Negação. Ira. Negociação. Depressão...Aceitação.

domingo, junho 12, 2011

Do amor de mais...


"Unless you love, your life will flash by.”

Quis Deus que eu carregasse neste corpo, que oscila entre uns 55 kg mais nervosos e uns 60 kg sossegados, todo o peso do Universo em saudades.
Quis Deus que eu levasse flores que cheguem àqueles que para além do tempo vou amando.
Quis Deus que não tivesse tido tempo de lhes dizer ao ouvido o quanto os amo...
Quis Deus que agarrasses junto ao peito e aí levasses contigo os girassóis que nunca deviam sair dos campos.
Quis Deus que se apagassem os sorrisos num momento em que as gargalhadas ainda ecoavam como tinta fresca, que cheira a tinta fresca e nos pinta a roupa.
Queira, então, Deus que eu tenha toda a força para não ter medo de me lembrar de cada tom de voz, cada toque da vossa pele, cada brilho dos vossos olhos.
Queira, então, Deus dar-me a força de vos buscar em cada sítio e encontrar e a lucidez para nunca vos esquecer.

terça-feira, junho 07, 2011


Somewhere over the rainbow Way up high And the dreams that you dream of Once in a lullaby Somewhere over the rainbowBlue birds fly And the dreams that you dream of Dreams really do come true Someday I'll wish upon a star Wake up where the clouds are far behind me Where trouble melts like lemon drops High above the chimney top thats where you'll find me Oh somewhere over the rainbow blue birds fly And the dreams that you dare to, oh why, oh why can't I?

Irei para sempre virar o arco-íris e ver o teu sorriso feito de muito mais que sete cores...

domingo, junho 05, 2011

coincidências

Na tarde em que a pior das notícias me chegou, à hora em que o pior da minha vida aconteceu, era Chavela Vargas quem a entoava pela casa:

Si tienes un hondo penar, piensa en mí
Si tienes ganas de llorar, piensa en mí
Ya ves que venero tu imagen divina
Tu párvula boca, que siendo tan niña
Me enseñó a pecar.

Piensa en mí cuando sufras,
Cuando llores, también piensa en mí,
Cuando quieras quitarme la vida
No la quiero, para nada
Para nada me sirve sin ti.

Piensa en mí cuando sufras
Cuando llores, también piensa en mí,
Cuando quieras quitarme la vida
No la quiero, para nada,
Para nada me sirve sin ti.

...penso sempre. penso tanto. e fujo. e finjo.

quinta-feira, junho 02, 2011

oui


Digo que sim. Sem emendas. Sem reservas. Sem medo. Sem hesitações.

Porque tenho os olhos no céu e tu os tens no mar.
Porque tu atas as mãos ao leme enquanto navego.
Porque se eu olho as estrelas tu vês o futuro.
Porque os dois vamos além do infinito.
E porque te amo. Como te amo.

quarta-feira, junho 01, 2011

Meu Anjo,

Preciso de chorar todos os dias. Talvez em cada dia um bocadinho menos. Até que um dia já não tenha lágrimas por ti. Ainda que permaneçam para sempre. Preciso imaginar que foste tu que encravaste o CD para nos fazer rir. Preciso acreditar que eras tu na voz daquele Sr. do avião a imitar os apanhados TVI. Tenho que acreditar que foste tu que disseste à Dani para me levar o girassol. Quero achar que és um anjo. uma estrela. a mais bonita luz. Quero que tenhas estado naquele julgamento, no mesmo sítio de onde me fizeste caretas há 1 ano só para veres se eu era mesmo merecedora do lugar. Tinha que te ter em Paris. Junto ao Sena. Junto ao Pedro, naquela hora em que o sonho de menina de uma vida se tornou tão pequeno. Queria ter feito só 10 anos para que ainda não tivesses nascido e para começar tudo outra vez. Queria que ainda estivessemos em 1990 e Ana Rita fosse só o nome que a tua mãe deu à minha boneca. Trocava tudo, Rita. Tudo o que até agora parecia tanto, só para que pudesses andar por cá. Porque quero muito acreditar que não partiste. Porque todos sabemos o quanto eras e nos fazias feliz. Porque só agora, infelizmente, percebemos a dimensão do nosso amor. Porque só esta tragédia nos devolveu o peso do sangue e nos fez perceber o quanto nos fazemos falta uns aos outros. Mas nós estamos aqui. Temos tempo... achamos sempre que temos tempo...