domingo, dezembro 24, 2006

Cliché Noël


Querido Pai Natal,

Agradeço, do fundo do coração, o presente de Natal antecipado. Pedi com muita força e, como sempre, quando se quer muito, as coisas acontecem.

Embora tenha as minhas dúvidas - e fortes - quanto a saber o quanto gosto desta época, chego sempre à conclusão que por mais triste, por mais longe que esteja dos meus anseios, é sempre melhor andar por cá a ver as luzes, as estrelinhas e a aguardar milagres de Natal... é que há sempre uma frase, um momento, que vale por todos.

Da minha lista de presentes só faz parte um pedido. Desses pedidos grandes, imensos, quase impossíveis de elaborar sózinha e para os quais uma ajuda é sempre benvinda... Não quero mais nada! Não quero mesmo mais nada...

Um dia - há muito tempo - quando procurava um disco cá em casa, descobri o presente de Natal que a minha mãe deu ao meu pai no Natal de 1981. Foi o primeiro Natal deles, foi o meu primeiro Natal. A minha mãe escreveu "ama-me todos os Natais das nossas vidas".

Este é o meu 25.º Natal. E é o meu único desejo. Ama-me todos os Natais das nossa vidas. Certa de que todos serão Natais Felizes.

Aos meus amigos,

Ladainha dos póstumos Natais

Há-de vir um Natal e será o primeiro

em que se veja à mesa o meu lugar vazio

Há-de vir um Natal e será o primeiro

em que hão-de me lembrar de modo menos nítido

Há-de vir um Natal e será o primeiro

em que só uma voz me evoque a sós consigo

Há-de vir um Natal e será o primeiro

em que não viva já ninguém meu conhecido

Há-de vir um Natal e será o primeiro

em que nem vivo esteja um verso deste livro

Há-de vir um Natal e será o primeiro

em que terei de novo o Nada a sós comigo

Há-de vir um Natal e será o primeiro

em que nem o Natal terá qualquer sentido

Há-de vir um Natal e será o primeiro

em que o Nada retome a cor do Infinito

David Mourão-Ferreira

domingo, dezembro 17, 2006

1 ano depois.


- Porque é que estamos aqui?
- Estamos aqui para nos irmos embora.
Pedro Paixão in Vida de Adulto

sexta-feira, dezembro 15, 2006

strawberry fields


"You have found... now go and get"

Por incrível que pareça às vezes o que não acontece é o nos enche o coração... porque há dias em que não se faz, para se fazer o que tinha de ser feito!
Não há qualquer fraqueza numa dúvida. Nem nostalgia numa história que acaba. É preciso saber olhar para trás olhando pelo espelho... para que o olhar se mantenha em frente!
Se é bom compreender... e é, também acredito que não é a compreensão que faz o mundo avançar, mas sim essa paixão parcial e inevitável pelo que é nosso - porque o fizemos nosso - e pelo que gostamos - porque gostamos! Ainda que tal paixão pouco tenha de compreensível...
"Ser parcial é o que há de mais bonito"... e o óbvio não precisa de ser dito!
É por isso que é tão bom tentar ler o livro mais difícil. É por isso que nada é melhor que consegui-lo. Só é verdadeiramente nosso aquilo por que lutamos. Aquilo que defendemos.
Quando se gosta por inteiro gosta-se sempre e deixa-se de gostar dos que não gostam. É mágico...
Como foi mágico o meu amanhecer. Na cidade de que gosto. Com a música de que gosto. Num Dezembro de que gosto. Nesta noite de que tanto gosto. Com o meu coração em luta entre a fraqueza e a coragem... de dizer que gosto e olhar em frente!

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Alea jacta est


A sorte está lançada. As minhas mãos estão frias - ausência de causa rara que as aqueça. Mas os poetas ensinaram-me a querer tudo... e eu não quero menos. Que fiquem frias - o morno não me chega!
No topo de uma árvore, numa janela brilham estrelas de Natal. Há-de haver uma que brilha só para mim e a que eu possa pedir o meu desejo...
Porque a sorte está lançada e é imensa. E os dados saíram das minhas mãos... ainda que frias.
Não posso ser outra coisa que não feliz. Não quero menos.
Para ser grande, sê inteiro: nada teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és no mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda brilha,
Porque alta vive.
Ricardo Reis

domingo, dezembro 10, 2006

you are my angel...



Angel

You are my angel
Come from way above
To bring me love
Her eyes
She's on the dark side
Neutralize
Every man in sight
To love you, love you, love you ...
You are my angel
Come from way above
To love you, love you, love you ...
massive attack

sábado, dezembro 02, 2006

... just because!

Lovesong

Eu lembro-me!



Lembras-te do teu primeiro beijo?!
Hoje acordei e senti-me grande... tão grande que me apercebi que há coisas das quais já não me lembro... coisas que pensei nunca mais esquecer.
Lembras-te dos cheiros todos? Das vozes todas? Havia um barco encalhado e uma bola da Nivea... havia um recreio gigante... havia baloiços... e bolos de aniversário que eram relvados!
Hoje acordei e corri para as fotografias... mas já não têm os cheiros, nem as vozes!
Acho que tenho saudades... saudades de pensar que nunca, mas nunca, nunca mesmo me poderia esquecer!
Hoje percebi que não consigo fechar em mim todo o tempo que passou... e fiquei triste!

"Trocaria a memória de todos os beijos que me deste por um único
beijo teu.
E trocaria até esse beijo pela suspeita de uma saudade tua,
de um único beijo que te dei."
Miguel Esteves Cardoso