sábado, julho 24, 2010

a new start

O que será que será Que andam suspirando pelas alcovas Que andam sussurrando em versos e trovas Que andam combinando no breu das tocas Que anda nas cabeças, anda nas bocas Que andam acendendo velas nos becos Estão falando alto pelos botecos E gritam nos mercados que com certeza Está na natureza Será que será O que não tem certeza nem nunca terá O que não tem conserto nem nunca terá O que não tem tamanho

O que será que será Que vive nas idéias desses amantes Que cantam os poetas mais delirantes Que juram os profetas embriagados Que está na romaria dos mutilados Que está na fantasia dos infelizes Está no dia-a-dia das meretrizes No plano dos bandidos dos desvalidos Em todos os sentidos, será que será O que não tem decência nem nunca terá O que não tem censura nem nunca terá O que não faz sentido

O que será que será Que todos os avisos não vão evitar Porque todos os risos vão desafiar Porque todos os sinos irão repicar Porque todos os hinos irão consagrar E todos os meninos vão desembestar E todos os destinos irão se encontrar E mesmo o padre eterno que nunca foi lá Olhando aquele inferno vai abençoar O que não tem governo nem nunca terá O que não tem vergonha nem nunca terá O que não tem juízo...

Chico Buarque

quinta-feira, julho 22, 2010

3 || 2 || 1


"Que ta coquille soit très dure pour te permettre d'être très tendre: la tendresse est comme peau: invencible.”

André Bay

... a um passo muito pequeno de me tornar muito grande

a sublimação do verbo amar


"mafalda, a menina que de presente recebeu bolas de sabão"

sim, nome de fruta, é para ti que escrevo este post, directamente ao teu duplo coração. porque agora és tu que tens uma bola de sabão a crescer dentro de ti.

sabes a letra da palavra mãe, não sabes?! sabes bem...

quarta-feira, julho 21, 2010

anywhere. anytime


desilude-te se me achas graça. se me achas tal e qual aquilo que te pareço. porque às vezes a cabeça destabiliza e é um ver se te avias. porque venho cheia da marcas. cheia de cicatrizes. porque acordo despenteada e os meu olhos não são tão verdes assim. porque se me fizeres chorar ficam muito verdes, mas isso não é bom. desilude-te se me achas assim tão bem-disposta. tão bom feitio. tão sossegada. tão da paz. não sou. sou complicada. tenho a mania de ler livros difíceis. ouvir músicas que não soam nada bem à primeira. às vezes nem à segunda. vais reparar que não tenho assim tanta paciência para pessoas. vais reparar que fico horas sozinha e ouço muita música mexicana. vais reparar que só gosto das minhas coisas. que são sempre as melhores e as mais importantes. vais perceber que afinal isso dos filhos únicos e tal até faz sentido. desilude-te se achas que sou extraordinária. mas não me digas nunca que sou normal. igual aos outros seres-humanos todos (e eu sei que sou). vais perceber que gosto de ser normal. e depois não gosto de ser normal. saberás que sei sair de cena. tenho pavor à sensação de ir embora tarde e odeio prolongamentos. e odeio perder tempo. embora ficar horas no sofá a olhar para ontem me saiba a um tremendo ganho de tempo. vais descobrir que tenho a mania que sei tudo. vais descobrir que tenho a mania que conheço todos os cantos a esta cidade e que sei muitos segredos sobre ela. saberás sentir o amor que tenho por esta terra como tenho por toda a casa onde se construa uma história. saberás a importância que dou aos afectos e a capacidade extrema de perdoar o inexplicável e de não perdoar nada. saberás que às vezes só quero fechar os olhos e dormir. que tenho muito sono. que sou muito chata quando tenho sono. mas que, acima de tudo, é acordada que gosto de estar!

quinta-feira, julho 15, 2010

my way

segunda-feira, julho 12, 2010

still alive


What were all those dreams we shared Those many years ago? What were all those plans we made Now left beside the road? Behind us in the road More than friends I always pledged Cause friends they come and go People change as does everything I wanted to grow old Just want to grow old Slide on next to me I'm just a human being I will take the blame Bust just the same This is not me You see Believe I'm better than this Don't leave me so cold Or buried beneath the stones I just want to hold on And know I'm worth your love Enough I don't think There's such a thing It's my fault, Now I been caught A sickness in my bones How it pains to leave you here With the kids on your own Just don't let me go Help me see myself Cause I can no longer tell Looking out from the inside of The bottom of a well I yell It's hell But no one hears Before I disappear Whisper in my ear Give me something to echo In my unknown futures ear My dear The End Comes near I'm here But not much longer...

[Pearl Jam]



segunda-feira, julho 05, 2010

Happy B Dani Day*