sexta-feira, outubro 30, 2009

Um banco de jardim...


Não morro sem me sentar ao lado dela. Escrevam.

cicatriz


... ao terceiro aniversário do meu blog*

A paixão que escolho para este ano é a fotografia.
Não... desiludam-se. Não é a super máquina fotográfica com que se tiram super fotos e muitas fotos hoje em dia.
É a fotografia.
A cicatriz.
O registo do feixe de luz que foi expressão, sorriso, birra. Que foi um lugar, um tempo, um cheiro. A fotografia que fica para lá do papel. A memória de quem lá esteve e de quem a tirou. A ânsia do resultado em jeito impresso. O formato. A cor. O preto-e-branco. A Polaroid, a Lomo, a Reflex ou só a primeira. Aquela dos passeios da escola e dos rolos encravados. Aquela reencontrada em álbuns e em gavetas que ficarão para sempre por organizar. Aquela em que não podias tocar com os dedos para não estragar. As do projector na parede da máquina de slides trazida de Andorra num ritual de arrumar os tarecos para ver aparecer a parede branca e as fotografias. Aquela dos meus pais na Praia da Rocha, e depois casados, e eu na barriga, e os primeiros sinais de independência quando enchi o meu quarto das minhas fotografias.
Aquela que quis tirar tantas vezes com medo que o momento passasse e eu não me lembrasse. E aquela que estragou a magia do momento.

Três anos passados.
Nas minhas mãos a cicatriz da queda retratada numa fotografia. Aprendi a gostar das cicatrizes na minha mão da mesma forma que gosto das imagens que elas marcam.
Aprendi a transformar as cicatrizes em adereço, motivo mais para dois dedos de conversa.
Sempre que olho as minhas mãos elas estão lá a contar histórias: com ecos e músicas e lugares. São como uma fotografia impressa no papel das minhas mãos.
Maravilhoso encontro do olhar!

segunda-feira, outubro 26, 2009

Porto

A cidade mais charmosa do Mundo
É babada e com algum entusiasmo que leio este artigo... é que lá diz o povo que quem "nossos filhos beija nossa boca adoça". Claro que a ser alguma coisa o Porto é mais pai do que filho. É mais mãe até, dada a minha relação de umbigo... mas o provérbio serve muito bem o que quero dizer.
Lembram-se daquela cena do "E tudo o vento levou" quando a Scarlett põe a mão na terra vermelha de Tara?
Para mim isso é o Porto. A minha terra!

quinta-feira, outubro 22, 2009

day by day


No ano em que estive em Itália de férias comprei um calendário daqueles com vários posters antigos que publicitam as várias estâncias italianas... esse calandário acompanha todo o ano de 2009, virando a página de cada vez que o mês muda ao som dos meus suspiros quando vejo: Milão, Roma, Lago do Como, Santa Marguerita, Sardenha, Capri...
E agora digam lá, chegado o fim do ano para onde é que se ruma? Ora aí está... p'ra neve. E por isso este poster... a vaticinar Janeiros que hão-de vir!

segunda-feira, outubro 19, 2009

ready for the fall

sou uma seca. uma beta. uma careta. o que quiserem. mas adoro refeições a horas certas. horários cumpridos. prazos apertados e estações do ano definidas e delimitadas . adoro datas. referências. ciclos. princípios e fins. alfa e omega. dependo do tempo: do que passa e do que faz lá fora.

agora sim, parece que é Outono. dos tons terra e das folhas caídas. da nostalgia. porque quando o Outono volta também o reencontro como quem reencontra um velho amigo que sabe sempre voltar.
é nesta altura que levo comigo os Placebo, os Radiohead, os Sigur Ros, os Kings of Convenience, o Jay Jay Johanson, os Belle & Sebastian, o Rufus Wainright... todos os clássicos que me acompanharam em tardes de chuva. em aninhanços no sofa. em mantas a cheirar a armário.
é nesta altura que volto aos chás, às bifanas que substituem a praia, aos pores-do-sol vespertinos e apressados, à minha cidade de granito e não de areia.
se gosto do frio? gosto que me aqueçam: o coração, as mãos, a alma. gosto que se cheguem a mim e me precisem. gosto do silêncio que acompanha os livros de Domingo. gosto do silêncio que torna audível o meu caminhar sobre folhas caídas e o estalar das castanhas.
quando o frio começar a apertar e o dia for colorido de castanho e laranja já não brincarei de galochas nas poças nem apanharei folhas para fazer colagens.
quando o vento começar a soprar e apanhar a 1.ª molha já não me apanham de blusão de ganga e sem guarda-chuva num autocarro apinhado...
quando me apetecer ver um filme assim para lá de intelectual e ir beber chocolate quente na Gesto já não me tremerão as pernas para decidir quem convido... já nem a Gesto está lá.
mas serão os mesmos olhos, ainda os meus olhos, que brilharão com a chegada do Outono...

sexta-feira, outubro 16, 2009

Um caso mais


Já nem me lembro do tempo em que gostava de Trovante... nem sei se alguma vez gostei. Mas sei perfeitamente em que cassete vivia esta música. Chamava-se qualquer coisa como "Êxitos Portugueses" e fazia parte de uma colectânea das que a minha avó mandava vir pela Selecções. Gosto desta letra do tempo em que nunca tinha tido namorado, era apaixonada por actores e músicos vários e a minha ideia de "caso" vinha do que ouvia os brasileiros dizerem nas novelas e catrapiscava na malandrice própria e parca da infância...
Eu cresci. A música envelheceu e ganhou pó. E hoje, na antena 1, ouvi a nova versão!
Adooooooooooro.

Enquanto foi só um bom momento deu Enquanto foi só um pensamento meu Deus, deu só num caso forte a mais. Enquanto se achava graça ao que se escondeu E as horas eram mais longas do que a verdade Fez p'ra ser só outro caso mais. Enquanto for só ternura de Verão Eu vou, Enquanto a excitação der para um carinho Eu dou. Traz Uma leveza Ah, mas concerteza Eu dou Um outro melhor bom dia. Já trocámos nortadas por vento sul Enquanto demos risadas foi-se o azul Nem sei qual deles foi azul demais. Mas não ficará só a sensação de cor Nem sei o que o coração irá dizer de cor Se o Inverno for, depois, duro demais.

quarta-feira, outubro 14, 2009

Ai... sei lá... estou indecisa...

Branco ou Preto?

terça-feira, outubro 13, 2009

Ao 13.º dia...

"Eu não sou boa nem quero sê-lo.Contento-me em desprezar quase todos,odiar alguns, estimar raros e amar um".
Florbela Espanca

quinta-feira, outubro 08, 2009

Yesterday


Ando há uns bons belos tempos a arranjar motivo para publicar esta foto no meu blog. É, sem dúvida, daquelas imagens de coração com que encapava os meus cadernos pretos no liceu num ritual Setembrino amoroso... e que passou. Os cadernos pretos ficaram para trás. Não mais tive aulas de francês e a Stôra Odete nunca mais me contou a história deste casalinho que muito fez pela revolução de 60!
Ora, hoje, à custa do meu velhinho CD de Beatles (The Beatles) e dos meus maravilhosos sapatuxos de cordões iguaizinhos aos que a minha mãe usou no casamento (eu bem que procurei...) deu-me uma vontade imensa de fazer um post... Eis senão qaundo dou com a musiquita - a tal do Je t'aime - no face da Diana... teve de ser.
Pelos vistos o Yesterday invadiu mais que uma alma e o post impôs-se.
Ando já há algum tempo para dizer também que uma das minhas grandes paixões foi elevada a Património Imaterial da Humanidade... o Tango! (E que belos sapatuxos tenho hoje para um Tango...).
Ando também com vontade de partilhar o meu ginásio e o professor de pilates que faz aulas ao som de "L'important c'est la rose"...
E queria também afirmar que estou com saudades... porque é Outubro. Não. Não é porque é Outubro... é porque me faz falta partilhar o riso e a esperança com duas das pessoas de que mais gostei - e gosto - ao longo da vida. E que sei lá porquê, ou pura e simplesmente porque a vida é estúpida, andam na vida por aí ... longe de mim!
... I say something's wrong, now I know for yesterday ...

terça-feira, outubro 06, 2009

Little (BIG) secret

P.S. À Nanica, Cláudxia, Dani, Ju, Lili, Mary, Miana, mim e Joãozinho...
Parabéns pelos NOSSOS 10 anos!
"A nós e a quem gosta de nós..."