segunda-feira, janeiro 29, 2007

Zagreb


Quem diria que esta fotografia de photomaton croata, ao jeito das fotografias dos nossos pais em período PREC ainda iria parar a um blog. Mas já que todas falhamos no leilão do nosso espólio aqui estou eu a partilha-la com o mundo... Só por um motivo: porque hoje acordei e olhei p'ró lado e pensei fiz a escolha certa, em vez de ser garganeira escolhi umas miúdas do meu campeonato. Sáo só relativamente feias!!! Ehehe. Hmmm. Pensando melhor acho mesmo que foi por causa das saudades. Não passou assim tanto tempo mas passou muita coisa. Dei por mim a arrumar o quarto e cruzei-me com uma saca manhosa. Já estão a adivinhar, pois já?! Um biberon GANT, uns óculos de sol foleiros, Sal croata, uns headphones, um lenço Hermès, esta foto... e a falta de um Let's go que nunca mais voltou à base. Foi aí que pensei: então e o nosso jantar? Então e nós outra vez à mesma mesa a abrir diários de bordo? É incrível como uma viagem pode ser bem mais que uma simples viagem. P'ra mim foi sonho e muito riso, muita ternura, muita amizade!
Se estou nostálgica?! Parece. Está frio. Estou doente e tenho demasiado que estudar. Depois penso em nós à solta pela Europa. Debaixo de sol quentinho e com o tempo todo pela frente. Crentes de que o mundo foi feito só para nós. Tenho saudades da Labânia. Do nosso hino. Das nossas sandes de queijo e fiambre. Das conversões mal feitas. Dos trocos contados. Do eye contact. Dos fanis... Tenho saudades de mim. Do meu coração cheio enquanto olhava o muro e acreditava puramente que a partir dali era capaz de lutar por tudo!
Adoro esta fotografia.
Desculpa Aninha, também adoro tu... mas no photomaton retro ainda não estavas!
"As noites de Budapeste são noites de Rock & Roll"

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Cansei de ser sexy!


Nada a temer. Cansei de ser sexy não tem nada a ver com o meu estado de espírito! "Cansei de ser sexy" é só o nome de uma banda paulista que pelos vistos cansou... tá no seu direito. E cansou de tal foma que deu o nome a uma das suas musiquitas de Poney, Honey, Money. Ora, por motivos óbvios, tinha que partilhar tal facto com o mundo. Estes génios não podem passar despercebidos. São achados como estes que me alegram estes dias p'ra lá de frios de Janeiro.
Quanto à foto... foi o Poney que encontrei! Já vi melhores, mas por enquanto é o que se pode arranjar. Toda a gente sabe que eu gosto mais dos coloridos, que deslizam de patins no arco-íris, mas devem estar a hibernar. Fazem bem!!!
Tks Pat. Fizeste um óptimo trabalho ;)

quinta-feira, janeiro 25, 2007

Para morder...


"EVER TRIED. EVER FAILED. NO MATTER. TRY AGAIN. FAIL AGAIN. FAIL BETTER"
Samuel Beckett

quarta-feira, janeiro 24, 2007

non-ti-scordar-di-me


As flores Miosotis também são conhecidas como “não te esqueças de mim” ou "não me esqueças” em várias línguas — non-ti-scordar-di-me, na Itália, forget-me-not na língua inglesa etc. São várias as formas de se explicar o seu nome, são diversas as lendas e histórias que passaram de pai para filho. Numa antiga e romântica lenda alemã, conta-se que esse nome está relacionado com a última frase de um cavaleiro que, tentando alcançar uma flor para oferecer à sua companheira, por conta do peso da armadura caiu no rio e afogou-se. Numa outra lenda, conta-se que o nome teria sido dado por Adão, ainda no Éden, que ao nomear as flores do jardim se esquecera desta e, mais tarde, ao constatar que essa planta havia sido esquecida, deu-lhe então o nome de Miosotis como forma de compensação pelo seu esquecimento. Uma terceira lenda, cristã e popular, diz que as flores dessa planta teriam ficado da cor azul quando a Virgem Maria lhes derramou lágrimas por cima. Na Europa há um folclore que costuma atribuir diversos poderes mágicos ao Miosotis, tratando-o, por exemplo, como chave mágica para tesouros enfeitiçados.
Não restam dúvidas quanto aos motivos do meu amor pelos miosótis...

domingo, janeiro 21, 2007



Mais que ontem e menos que amanhã

P.S. Quem me dera, hoje, que fosse ao contrário. Mas a vida prega-nos partidas...

quarta-feira, janeiro 17, 2007

my shoes

Porquê que eu gosto TANTO de sapatos?! Porque gosto TANTO de andar pelos meus pés!
P.S. Adeus sapatos prateados! Olá sapatos prateados!
"Eu só queria dançar contigo, sem corpo visível... dois pares de sapatos, levantando o pó, dançar como amigo só!"
Sérgio Godinho

quinta-feira, janeiro 11, 2007

(...)


Às vezes fomos um,
Outras vezes fomos ninguém...
Houve dias em que fomos... e voltamos.
Fomos ondas, fomos piratas,
Fui tatuagem e fiz parte de ti
E água passou, rompeu, rasgou,
mas eu não saí.
Foi o tempo que teve que passar
Fui a lua que te enfeitiçou.
Passei. Passou.
Como pássaros que voam para sul,
Assim voamos às vezes p'ra lado nenhum...
Levou o tempo que levou o mundo,
Que te levou a ti. Que levou tudo.
Outubro 1997

domingo, janeiro 07, 2007

Another Sunny Day



... and I think to myself: - what a wonderful world!

tks*

sexta-feira, janeiro 05, 2007

As bolas & o sabão

De entre os vários presentes de Natal recebi um Kit para fazer bolas de sabão. Não, não estou a brincar... um kit mesmo kitado. Dá para fazer bolas em forma de estrela, de coração e em forma de bola. Pasme-se!!! Traz sabão e outros utensílios não identificados que qualquer aprendiz de chinoca perceberia à primeira para o que servem. E resulta. Eu sei porque já abri e já fiz muitas bolas ( e estrelas e corações!!!).

Estou, acima de tudo, sensibilizada com a sensibilidade (e não passo o pleonasmo, já que o devo ao oficioso da Mi do quando aconteceu o acontecido...) da minha querida dupla Tininha da Maia & Tininha Turner - sim Micas, não te livras...
Adoro bolas de sabão, adoro tudo o que me faça ainda mais cabeça no ar, adoro o que é bonito- ainda que não dure muito - e , acima de tudo, adoro qualquer motivo parvo para deixar os livros e ver o dia passar. ADORO!!!!
Ah! E oferecerem-me o kit no dia em que vi o Gael e o Brad Pitt bem juntinhos também foi de uma enorme sensibilidade vossa!

terça-feira, janeiro 02, 2007

A mais bonita


Porque foi a mensagem mais bonita, achei que não devia esquece-la.
Se existir guerra, que seja de almofadas...
Se existir fome, que seja de amor...
Se for para esquentar, que seja o sol...
Se for para enganar, que seja o estômago...
Se for para chorar, que seja de alegria...
Se for para roubar, que seja um beijo...
Se for para perder, que seja o medo...
Se for para caír, que seja na gandaia...
Se for para ser feliz, que seja o tempo todo!
A Princesa dos Diospiros responde:
Amen.

2007


Et voilá! Passou 2006. Já não há hipótese. Já lá vai. O que havia para fazer foi feito. Adeus!
Ficam para sempre saudades:
Da Corunha. De Londres. Do office. Do 1.º sol algarvio. Desse regresso destravado. De Lx. De Lx e dos exames no combóio. Dos encontros ansiosamente esperados. Dos fins-de-tarde na Ribeira. Na Foz. Em Matosas. Das noites no Cubo. Da cabeça de pêssego. Das noites no Molhe. Das tardes no aterro. Das festas na Casa Lemos. Do ganza mobile. Do reguizinho (?!). Da 1.ª noite txutxuca (?!) na Indústria. Dos concertos. Do Mundial. Da janta do solteiro convicto. Dos meus 24 aninhos. Do karaoke do Mário. Do Piu a lavar louça no churrasco da Vila. Da casa da Marta. Do Sudoeste. De Odeceixe. De Sagres. De Moledo. De Ponte de Lima. Da Ponte da Arrábida. Do meu 17. Do teatro. Das jantas da Pat. Do chocolate quente. Das mãos quentes...
Agora é tempo de cumprir tarefas, renovar esperanças, começar de novo... e como é importante o ano que aí vem.
Seguindo à risca a minha veia macumbeira e os conselhos brasucas da minha manicure lá entrei em 2007 de "calcinha vermelha" e desejos concentrados... importante é o amor, o resto vem depois!
Adorei a noite. A música. O champagne. O mar improvisado p'rá nossa Iemanjá. Os sorrisos. O choro. O fogo... sempre o fogo! Amei como sempre os meus amores mais puros, mais fieis e mais eternos... Adorei os abraços. Os beijos. Os olhos cheios da promessa de que vamos ser felizes.
"E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar
não tem tempo, nem piedade nem tem hora de chegar
sem pedir licença muda nossa vida depois convida a rir ou chorar
nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá
o fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai dar"
Vinicius de Moraes