quarta-feira, dezembro 08, 2010

pen & cilina

Creio que foi o sorriso,
0 sorriso foi quem abriu a
porta.
Era um sorriso com
muita luz
dentro, apetecia
entrar nele, tirar a roupa,
ficar
nu dentro daquele
sorriso.
Correr, navegar, morrer
naquele sorriso.

Eugénio de Andrade

... ainda estou para perceber como é que um conjunto de coisas más pode despertar memórias tão boas!


segunda-feira, dezembro 06, 2010

to dream or not to dream


that's not a question