segunda-feira, novembro 23, 2009

* my favorite things *

Raindrops on roses and whiskers on kittens; Bright copper kettles and warm woolen mittens; Brown paper packages tied up with strings; These are a few of my favorite things. Cream-colored ponies and crisp apple strudels; Doorbells and sleigh bells and schnitzel with noodles; Wild geese that fly with the moon on their wings; These are a few of my favorite things. Girls in white dresses with blue satin sashes; Snowflakes that stay on my nose and eyelashes; Silver-white winters that melt into springs; These are a few of my favorite things. When the dog bites, When the bee stings, When I'm feeling sad, I simply remember my favorite things, And then I don't feel so bad...

segunda-feira, novembro 16, 2009

blue monday

pink life
é um facto mais que sabido que não faço nem gosto do género sentimentalóide do tipo ah e tal que te adoro tanto e todos os dias. o problema (ou não...) é que há pessoas que adoro mesmo tanto e todos os dias. e a verdade é que de cada vez que páro p'ra pensar nisso percebo o quanto uma noite péssima, chuvosa e ranhosa, sem grande música e sem grande gente p'ra ver as modas se pode tornar 1000 x melhor que um dia de sol!
Posto isto,
Gosto muito de tu... tanto* e todos os dias*
até porque... convenhamos... nós somos 2 amores :)

domingo, novembro 15, 2009

rearviewmirror

once and for all I'm far away

|pearl jam|


enquanto o passado se desvanece em sombra e o dia-a-dia me surpreende, olho p'ra frente... é aí que a vida está!

melhor que ser ou estar é permanecer; ficar*

quinta-feira, novembro 12, 2009

my man

Do charme irresistível desta personagem de BD ao charme irresístivel de uma música

Ficam tão bem juntas...

Ao meu Pedro,
Porque ainda é mais giro que o Corto e soube sempre trazer o Cohen nas alturas certas ;)
If you want a lover I'll do anything you ask me to And if you want another kind of love I'll wear a mask for you If you want a partner Take my hand Or if you want to strike me down in anger Here I stand I'm your man If you want a boxer I will step into the ring for you And if you want a doctor I'll examine every inch of you If you want a driver Climb inside Or if you want to take me for a ride You know you can I'm your man Ah, the moons too bright The chains too tight The beast won't go to sleep I've been running through these promises to you That I made and I could not keep Ah but a man never got a woman back Not by begging on his knees Or I'd crawl to you baby And I'd fall at your feet And I'd howl at your beauty Like a dog in heat And I'd claw at your heart And I'd tear at your sheet I'd say please, please I'm your man And if you've got to sleep A moment on the road I will steer for you And if you want to work the street alone I'll disappear for you If you want a father for your child Or only want to walk with me a while Across the sand I'm your man

segunda-feira, novembro 09, 2009

The wall


"wir sind das volk"
1989-2009
Foi há 20 anos. E assisti em directo sem perceber o porquê da excitação dos meus pais. Tinha eu uns 5 anos quando os meus pais foram à Alemanha visitar uns amigos que lá viviam. Eu fiquei. Entre outras lembranças trouxeram-me um calendário daqueles com argolas. Em cada mês tinha uma fotografia do muro. Eu lembro-me de achar o muro bonito. Por isso, não percebi o contentamento do Mundo com a sua queda.
Em 2005 fui a Berlim. Com as minhas amigas. Prestes a entrar no combóio rumo a Am'dam e depois de me ter dado por satisfeita com uns bocados de muro totalmente cinzentos e muito àquem da imagem colorida da minha infância apercebi-me que se atravessasse a rua que separa a linha do combóio da cidade lá estava ele. O muro cheio de cores. E pinturas. A lembrar ou a esquecer. E foi inevitável... chorei como uma perdida, como se estivesse diante de uma libertação, dum acto de contrição, de algo enorme.
E estava...

quarta-feira, novembro 04, 2009

I love NY

Em Novembro de 2006 fui ver um filme. Chamava-se "Paris, Je t'aime". Estava em raros cinemas portuenses e vi-o no Parque Nascente. Esteve lá pouco tempo.
3 anos depois ouve-se um burburinho excitado de fundo acerca deste "New York, I Love You." Aposto que vai estar em mil cinemas. Algum tempo. E toda a gente marcará presença.
Lá estarei também, porque até sei como é fácil gostar de NY, vibrar com a cidade, sentir-lhe os cheiros e os barulhos e como noutro título, agora de livro, tenho "Saudades de Nova Iorque".

Não sei escolher entre elas. A minha 1.ª vez em NY foi a minha 1.ª vez em Paris, numa viagem feita de filmes com as 2 cidades protagonistas, deliciosa e charmosa escolha da Air France.
Não sei gostar mais de Woody Allen ou de Godard. Gosto de imaginar que pela teoria da colisão das placas o Porto já foi colado a Nova Iorque e não me importava que Paris também ficasse aqui do lado.
São dois amores.
O Paris Je t'aime cantado pelo Maurice Chevalier ou o New York I Love You dos LCD Soundsystem.

Ainda assim, haverá sempre um "je ne sais quoi" no tal filme de Paris...